Organização Mundial da Saúde reconhece o vicio em jogos como um problema de saúde mental




A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que incluirá pela primeira vez os distúrbios associados aos videogames como problemas de saúde mental. A organização informou que na próxima atualização da Classificação Internacional de Doenças, que será publicada em 2018, qualquer transtorno relacionado a videogames será tratado como uma doença mental séria.

De acordo com o texto que ainda está sendo finalizado, aqueles que não conseguem controlar o comportamento durante um jogo, ou mesmo a frequência com que joga, o tempo gasto e principalmente a intensidade, podem possuir um “sério distúrbio mental”.

Vale destacar no entanto, que a organização enfatiza claramente que a maioria das pessoas que jogam habitualmente videogames não possuem nenhum transtorno, apenas alguns casos em que o uso continuo e excessivo de produtos relacionados à jogos acaba gerando um problema sério de saúde mental, como dar prioridade a jogos em vez de comer, dormir, interagir com outras pessoas, fazer projetos e obrigações pessoais, dentre outras.

O comportamento durante o jogo e outras características são normalmente evidentes durante um período de pelo menos 12 meses para que um diagnóstico seja feito, no entanto a duração requerida pode ser encurtada se todos os requisitos de diagnóstico forem cumpridos e os sintomas forem sérios, comenta Vladimir Poznyak, chefe do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias da OMS.

Desde 1990 a Classificação Internacional de Doenças de OMS não é atualizada. A nova versão que será publicada no próximo ano, contará com várias revisões e inclusões de doenças não catalogadas anteriormente.

Redator - Sandro Felix

Sandro Felix é redator e editor do site Universo Games desde janeiro de 2016. Apaixonado pela cultura Geek, escreve diariamente noticias sobre games e entretenimento para o site.